Bucket List

Deixando Ir...

Zen Tarot Card

Na existência não há ninguém que seja superior e ninguém que seja inferior. Uma folha de grama e a grande estrela são absolutamente iguais... 
O homem, porém, quer estar acima dos outros, quer conquistar a natureza, e por isso precisa lutar continuamente. Toda complexidade é fruto dessa luta. A pessoa inocente é aquela que renunciou à luta, que não está mais interessada em estar acima, que não está mais interessada em mostrar desempenho, em provar que é alguém especial; é aquela que se tornou semelhante a uma rosa, ou a uma gota de orvalho sobre a folha de lótus; que se tornou parte desta infinidade; aquela que se fundiu, se misturou e se tornou uma coisa só com o oceano, e agora é simplesmente uma onda; é aquela que não tem qualquer idéia do "eu". O desaparecimento do "eu" é a inocência.

Osho The White Lotus Chapter 6

 

Comentário:

Nesta imagem de folhas de lótus ao amanhecer podemos ver, pela ondulação da água, que uma gota acabou de cair. É um momento precioso, pungente. Ao render-se à força da gravidade escorregando da folha, a gota perde a sua identidade anterior e junta-se à vastidão da água que está embaixo. Podemos imaginar que ela deva ter vacilado antes de cair, na exata fronteira entre o conhecido e o incognoscível. 
Tirar esta carta em uma leitura é o reconhecimento de que alguma coisa acabou, de que algo está se completando. Seja o que for -- um emprego, um relacionamento, um lar que você amou, qualquer coisa que possa tê-lo ajudado a definir quem você é -- é hora de deixar isso para trás, permitindo qualquer tristeza que surja, mas sem tentar se agarrar ao que se completou. Alguma coisa maior está esperando por você: há novas dimensões a serem descobertas. Você ultrapassou o ponto a partir do qual não há volta, e a gravidade está cumprindo a sua função. Não resista: isso significa libertação.

Encontro de turma

Um grupo de ex-colegas de faculdade discutiam para escolher o restaurante onde iriam comemorar seus 20 anos de formatura. 
Finalmente decidiram-se pelo Restaurante Tropical, porque as empregadas usavam minissaias e blusas muito decotadas. Bobo

Dez anos mais tarde, nos 30 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram para escolher o restaurante. Optaram pelo Restaurante Tropical,
porque a comida era muito boa e havia uma ótima seleção de vinhos. Bêbado

Passados mais dez anos, para o encontro de 40 anos, os amigos reuniram-se mais uma vez para discutir o local da festa. E escolheram mais uma vez o
Restaurante Tropical, porque ali podiam comer em paz e sossego e havia sala de fumantes. Insatisfeito

Para o jubileu de ouro (50 anos de formados!), o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram para escolher o restaurante. Decidiram-se pelo
Restaurante Tropical,  porque lá havia uma rampa para cadeiras de rodas e até um pequeno elevador.


Finalmente, para comemorarem 60 anos da graduação, os antigos colegas se encontraram para deliberar sobre o melhor lugar para o evento.
A escolha recaiu sobre o Restaurante Tropical : todos acharam que era uma grande ideia, já que nunca tinham ido lá! Em dúvida

Entorpecido
 


Talvez

Pablo Neruda


Talvez não ser,
é ser sem que tu sejas,
sem que vás cortando
o meio dia com uma
flor azul,
sem que caminhes mais tarde
pela névoa e pelos tijolos,
sem essa luz que levas na mão
que, talvez, outros não verão dourada,
que talvez ninguém 
soube que crescia
como a origem vermelha da rosa,
sem que sejas, enfim,
sem que viesses brusca, incitante
conhecer a minha vida,
rajada de roseira,
trigo do vento,

E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos...
E por amor
Serei... Serás...Seremos...



Amor

“Se vocês acharam que eu não estava louca, vão achar agora.

Como posso explicar as coisas que disse e fiz?

Como explicar a pessoa que me tornei?

Eu sei que desapontei muitas pessoas.

Queria ser mais articulada.

 

Acredito que a vida seja mágica.

Ela é tão valiosa.

Existem vários tipos de vida nessa vida.

Tantas coisas para amar.

O amor por um esposo ou namorado.

O amor pelas crianças.

O amor por si mesmo.

E até por coisas materiais.

E este é meu amor. É meu.

Ele me preenche, me define,

E me impulsiona.” (Peggy, The Year of the Dog) na despedida da Cris do blog Vegetariana

Coffee Lover

CAFFEINE LOADING... Women's Light T-Shirt

Pelo mundo...

 

Pertinho do Himalaya...

Mestre Shimada

 


 

Pátria Amada!


Alimente os peixes com cliques do mouse!

Human Calendar


O que é o Twitter?

 


Yoga

Chuva com as mãos

Leitura

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
    Visitante número: